Dissolvendo o conflito Dinheiro & Dignidade

O cliente e sua questão: Edu (nome fictício), engenheiro, trouxe para a terapia-consultoria por Constelações Sistêmicas Familiares o seu crônico desânimo e mal estar frente ao dinheiro, não conseguia se empenhar em ganhá-lo nem controlava bem sua situação econômica. A depressão minava sua vida, seu sucesso profissional como consultor estava sendo comprometido. Sentimento recorrente de repulsa ao ganho monetário era acompanhado por pensamentos de que dinheiro põe em risco a dignidade. 

A Constelação Familiar: o conflito interior de Edu revelou-se associado à sua identificação com o avô materno, cuja herança causava até então, conflitos entre os filhos e entre os netos. O avô de Edu e seus irmãos emigraram da Europa para o Brasil. O bisavô os obrigou a vir para o Brasil fazer fortuna, apesar da mágoa e dor da bisavó e da revolta de seus filhos, que obedeceram contrariados. Os filhos não voltaram à pátria e o bisavô foi definhando, não viu mais nem os filhos nem os netos. O avô de Edu veio com 13 anos, era o mais novo dos irmãos, foi o mais bem sucedido em cumprir o desejo do pai, fez fortuna no Brasil. 

Não cuidou, porém, da dignidade dos meios, qualidade que em seu coração permaneceu associada à memória da mãe. Entre a lealdade ao pai e à mãe, viveu um conflito interior não resolvido, que afetou a geração dos filhos e dos netos. O conflito se refletia, até o presente, na dificuldade frente à partilha de seus bens. 

Edu reconheceu a associação entre seu dilema dinheiro e dignidade, com uma identificação inconsciente com o avô, pelo qual tinha muito afeto. Percebeu que seus conflitos pessoais e familiares atuais faziam parte do inconsciente coletivo de sua família. 

No evento de Constelações Sistêmicas, foram realizadas cerimônias de reconciliação entre o avô e os bisavós, pais dele, bem como cerimônias de gratidão a sua pátria de origem e à brasileira. Edu manifestou reverência aos bisavós e ao avô, agradecendo o dom da vida, que recebeu através deles. Com respeito e compaixão, deixou com eles os seus destinos, sentindo-se, então, livre para assumir apenas a sua vida, agora com maior plenitude. 

Benefícios: dois meses depois Edu informou sentir-se liberado da depressão, estava mais vigoroso e animado. Estava tomando pela primeira vez, com coragem, a iniciativa de mediar com os primos, o rateio dos bens herdados do avô. Profissionalmente, Edu passou a difundir seu aprendizado pessoal, apoiando pessoas com dificuldades semelhantes às suas. Entre suas atividades profissionais está hoje a de consultor na mediação de conflitos entre pessoas.