O amor da mãe pela filha, resgatado pela avó: um caso de adoção

A jovem (E) sofria com o desamor de sua mãe, que sentia como distante, ausente. Foi necessário um tempo de terapia para que ela conseguisse admitir a dor, inicialmente dizia querer apenas ajudar a melhoria do relacionamento entre a mãe e uma irmã.

Na terapia por Constelação Familiar foi observado que a mãe de E não se sentira amada por sua própria mãe, avó de E. Embora a mãe de E tivesse traços de raça branca, sua mãe era negra, e a entregara para adoção, a uma família de raça branca, por dificuldades econômicas em criar os muitos filhos.

Verificou-se haver um forte vínculo amoroso entre a jovem E e sua avó natural, negra. Na terapia foi feito o fortalecimento da avó pelos seus ancestrais africanos e também foi realizada uma cerimônia de gratidão mútua entre a avó natural de E, e a avó adotiva, que havia criado a mãe de E.

Verificou-se que ambas amavam a filha e a neta E. Durante a terapia por constelações, ainda que a mãe de E continuasse rejeitando sua mãe negra, a jovem E sentiu-se fortalecida pelo amor conjunto da avó natural, negra, e da avó adotiva branca.

Dois meses após a realização da constelação, a cliente E trouxe o testemunho de que o relacionamento dela com sua mãe havia se transformado, passara a ser de grande afetividade, até então desconhecida pela filha. O pai de E testemunhou que a esposa se tornara muito mais amorosa com ele também. Através da terapia por constelações sistêmicas, mobilizada por uma filha, deu-se de uma cura amorosa que repercutiu na geração de seus pais.

Método: Constelação Sistêmica Familiar

Facilitadora: Maristela de André