Doença Crônica: Diabetes

Numa seção de terapia por Constelações Sistêmicas Familiares (2006), uma senhora de 60 anos, que sofria com sintomas decorrentes de diabetes, verificou que guardava no inconsciente um apego à doença, como se ela a protegesse de algo que temia.

Verificou-se ser sua propensão compulsiva por bebida e comida. Dizia que resistia à compulsão por saber que as consequências seriam mortais, devido à diabetes.

Na terapia, ocorreu o fortalecimento de seus laços afetivos com a mãe e a dissolução da identificação inconsciente com ao avô paterno, que fora dependente de álcool, assim como seu filho, pai dessa senhora. O quadro de influências familiares negativas era agravado por ter tido pouco afeto de sua mãe, na infância.

No processo terapêutico foi desmistificada a proteção ilusória dos diabetes e ampliada sua autoestima, a personalidade dessa senhora se fortaleceu. Passou a sentir-se motivada, a ter maior facilidade de cuidar de si mesma e de valorizar a vida atual.

Dois meses depois relatou estar melhor de saúde, seu aspecto vigoroso era notável. Disse sentir-se feliz e que suas filhas mostravam-se surpresas com seu acolhimento amoroso, antes a sentiam “distante, ausente”. Antes da terapia por Constelações, ela não trabalhava por seu sustento, dependia de suas filhas, agora morava sozinha e parte do sustento vinha da produção e venda de pães recheados, que ela oferecia em escolas da vizinhança. Disse-nos que uma nova etapa de vida estava começando para ela.

Facilitadora: Maristela de André