Programa de Qualidade de Vida e Recuperação de Portadores de LER/DORT, no site do Rio Abierto / 2002 - por Maristela de André

Publicado: no site do Instituto Rio Abierto

Realizado em: 1998 - 2002

 

As observações indicam que a metodologia ofereceu contribuição relevante à conquista de autoestima, de autonomia física, emocional e mental aos portadores de LER/DORT, ampliou sua disposição em assumir seu processo de cura e em conviver criativamente com suas limitações.

Consiste em: Distúrbios Osteomusculares Associados ao Trabalho 

O Programa: Apoio terapêutico a pessoas acometidas de LER/DORT, em licença médica por período superior a um ano, assistidas pelo CEREST-Centro de Referência da Saúde do Trabalhador, órgão associado à Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo. A intervenção de caráter fisio e psicoterapêutico foi aplicada complementarmente ao tratamento médico e à acupuntura, com metodologia da "Fundação Rio Aberto Internacional - Centro para o Desenvolvimento Harmônico do Ser Humano", desenvolvida pelas terapeutas do Centro "Rio Aberto São Paulo".

O programa foi solicitado pelo Dr. Waldemir Santana Filho, médico ortopedista e acupunturista do CEREST, que também atuou como terapeuta. O programa foi concebido e executado por: Ana Michaela Sztejnhauer e Denise Fonseca, ambas psicólogas, por Luiza Helena Amaral, fisioterapeuta, e por Maristela de André, terapeuta. A atividade estendeu-se de 1998 até 2002.

Nos anos de 1998 e 1999 participaram do programa cerca de 80 pessoas acometidas por L.E.R./D.O.R.T, reunidas em grupos que reuniram, em média, 10 a 20 pessoas, as quais permaneceram no programa por um tempo mínimo de 4 meses. Cerca de 1/3 dessas pessoas participaram de um segundo módulo do programa, de aprofundamento do trabalho ao nível psíquico.

A Metodologia: O processo terapêutico atuou na liberação das tensões corporais crônicas, na elevação e na harmonização da energia vital, na ampliação da autoconfiança e disposição em mover mesmo as áreas doloridas do corpo, em expressar-se com espontaneidade, inclusive corporalmente; instrumentalizou os participantes com métodos de liberação do estresse físico e emocional, autonomia frente à saúde do corpo e da mente, a disposição em assumir seu processo de cura. O módulo de aprofundamento da terapia utilizou também recursos de sócio psicodrama.

Alguns Resultados: Os participantes aprenderam, praticaram, introduziram em sua rotina diária exercícios para a liberação de stress físico e do psíquico, adaptados ao seu quadro clínico. Alcançaram, por exercícios de meditação, maior paz interior e uma sintonia mais profunda consigo mesmos. No período de observação (1998-1999), alguns voltaram ao trabalho, outros continuaram renovando suas licenças médicas, outros se aposentaram por invalidez.

As observações indicam que a metodologia ofereceu contribuição relevante à conquista de autoestima, de autonomia física, emocional e mental aos portadores de LER/DORT, ampliou sua disposição em assumir seu processo de cura e em conviver criativamente com suas limitações.

Passamos a citar algumas das manifestações de participantes ao cabo de 4 a 8 meses de tratamento:

"... o que eu mais valorizo de tudo que tenho aprendido neste curso é uma coisa que eu não esperava encontrar nele, é saber que meu corpo não é dirigido só por leis próprias, meu espírito pode influenciar o meu corpo e se ele for forte posso lidar com o que acontece no meu corpo; sei que neste momento estou passando por uma crise de dores, mas posso dar conta, vai passar, como passaram outras, antes elas eram mais frequentes do que agora, me sinto confiante..." (depoimento de jovem na década dos 22 anos, sujeita a frequentes e acentuadas crises de dor)

"aprendi a conviver melhor comigo e a conhecer meus limites e o mais importante foi aprender a relaxar, não ficar tensa e a respirar melhor..."

"descobri muitas coisas, como viver com a dor; é não deixar que ela me domine, mas sim que eu a domine; porque depois que comecei este tratamento passei a me sentir uma pessoa normal, antes me sentia uma pessoa sem ação; descobri que posso relaxar, que a vida é maravilhosa com ou sem doença...".

Observação: ficou patente o grande potencial do método na prevenção da LER/DORT, na redução do estresse crônico de muitos dos ambientes de trabalho que estão associados à LER/DORT.

Diversas iniciativas foram realizadas em empresas, mas em geral estas não tem sustentado a intenção de oferecer aos seus colaboradores um programa sistemático, o que se evidencia necessário para a criação e sustentação de novos hábitos corporais, psíquicos e mentais.

Métodos conhecidos genericamente como "ginástica laboral" vem sendo praticadas nas empresas como prevenção ao estresse em geral e à LER/DORT em particular.

Em geral oferecem pouca oportunidade de que a pessoa adquira a autopercepção, a introspecção necessária a mudanças autossustentadas. Vem sendo praticada por jornadas curtas demais, em condições físicas frequentemente inadequadas a exercícios e a aprendizagens terapêuticas que permitam associar concentração mental com relaxamento emocional e mental.

A riqueza deste método merece ser mais explorado no âmbito de empresas e de outras instituições.

 Projeto realizado pela equipe do Rio Abierto - São Paulo: Ana Michaela Sztejnhauer e Denise Fonseca, Luiza Helena Amaral, Maristela de André, Waldemir Santana Filho

Este texto é da responsabilidade de Maristela A. André

Texto completo no Site do Rio Abierto